Como lidar com o distúrbio alimentar durante uma pandemia

Foco na imagem de uma jovem mulher com transtorno alimentar fazendo um lanche da meia-noite, comendo rosquinhas na frente da geladeira

Devemos admitir que em meio a essa pandemia, nossas rotinas, ansiedades e, principalmente, nossos hábitos alimentares parecem muito desequilibrados.

Milhões de pessoas, no Brasil e no mundo, foram afetadas por um distúrbio alimentar, e mesmo que isso não se aplique a você, muitos de nós experimentamos a sensação avassaladora de estar fora de controle, e ficar preso dentro de casa é propício a isso.

Para os que foram diagnosticados e sofrem de um distúrbio alimentar permanecer em ambientes fechados e ter acesso 24 horas por dia aos armários pode causar muita angústia no corpo e na mente.

O momento também é difícil para quem não foi diagnosticado, mas frequentemente sofre de episódios de compulsão alimentar. É provável que, se você estiver trabalhando em casa ou estiver em casa durante a atual crise pandêmica, nunca tenha passado tanto tempo em um alcance tão fácil da geladeira.

As compulsões frequentes podem levar ao ganho de peso, que a longo prazo pode potencialmente levar a doenças cardíacas e diabetes, e lutar com compulsão pode certamente causar angústia mental e levar a problemas de saúde mental, como a depressão.

Se você está tendo dificuldades com a compulsão alimentar, mantenha seus hábitos alimentares sob controle com essas dicas.

Dicas de como enfrentar o distúrbio alimentar durante a pandemia

Comparação de fotos

As fotos antes e depois podem ser as melhores amigas de uma pessoa. Mantê-las em exibição em um lugar que você visita regularmente, como um ímã na porta da geladeira ou preso no armário, é um bom motivador antes de pegar um punhado de alimentos processados e lanches. Isso pode lhe dar o impulso necessário para não desfazer seu trabalho duro.

Se mantenha ocupado

Um dos principais fatores a considerar no momento é a necessidade de permanecer dentro. Ter uma rotina regular com as refeições planejadas é uma maneira fantástica de manter o controle sobre a sua alimentação.

Se você está pensando em fazer um lanche e não tem certeza se essas dores são a fome ou o tédio, tente uma atividade primeiro. Desafie-se com alguma atividade, como pular corda, fazer polichinelos ou faça sua caminhada diária para aumentar essas endorfinas.

Fique atento na hora de comer

Desligar o controle remoto e prestar atenção à comida à sua frente pode ajudar seu corpo a aumentar a sensação de satisfação e significa que você tem menos chances de comer mais do que precisa.

De acordo com o endocrinologista Alfredo Halpern e do psiquiatra e especialista em transtornos alimentares Adriano Segal, o estômago leva cerca de 20 minutos para enviar sinais de saciedade ao cérebro, então aproveite esse tempo e será menos provável que você alcance as batatas fritas mais tarde.

Beba alguma coisa

A água é um inibidor de apetite natural e muitas vezes confundimos a fome com sede. Ter uma garrafa de água em mãos é uma maneira infalível de saber se você está realmente com fome e evitará que você coma demais durante o dia.

Quando o estômago sente que está cheio, envia sinais ao cérebro para parar de comer. A água pode ajudar a ocupar espaço no estômago, levando a uma sensação de plenitude e reduzindo a fome.

Tire uma soneca

Estar com sono pode causar um aumento no apetite e um desejo de aumentar sua ingestão de calorias. A perda de sono interfere na leptina, um hormônio inibidor de apetite, e na grelina, um peptídeo secretado pelo estômago para estimular o apetite.

Quando você está com sono, os níveis de leptina no sangue diminuem e os níveis de grelina aumentam, juntos, isso faz com que você consuma calorias em excesso em um dia.

Prefira o açúcar bom

Os açúcares não processados ​​que você encontra nas frutas são chamados de açúcares naturais. Esses açúcares naturais impedem que seus desejos de açúcar refinado (encontrados em doces, bolos, biscoitos etc.) se tornem irresistíveis.

Caso você sinta que os níveis de açúcar no sangue estão caindo, procure comer algumas fatias de maçã ou descongele algumas frutas congeladas, o que ajudará a combater a necessidade de buscar uma barra de chocolate.

Coma mais proteína

Aumentar sua proteína é garantido para mantê-lo mais cheio por mais tempo. Se você estiver com fome entre as refeições, armazenar ovos cozidos na geladeira ou pegar algumas fatias de presunto são fontes de proteína de baixa caloria que serão um estímulo bem-vindo.

Mantenha um diário

Estudos mostraram que manter um registro de sua comida e emoções ajuda muitos a permanecer no caminho da perda de peso. Escrever tudo ajuda a determinar padrões de mau humor com a alimentação emocional.

Esses pensamentos podem ajudar a controlar uma compulsão ou até impedir que isso aconteça completamente. Comece o registro no diário com um aplicativo ou com os excelentes papéis e caneta à moda antiga.

Não hesite em pedir ajuda

A abordagem de tratamento correta para cada pessoa depende de seus sintomas, problemas e pontos fortes específicos, bem como da gravidade do distúrbio.

Para ser mais eficaz, o tratamento de um distúrbio alimentar deve abordar os aspectos físicos e psicológicos do problema.

Depois de decidir fazer uma alteração, a abertura sobre o problema é um passo importante no caminho da recuperação.

Pode parecer assustador ou embaraçoso procurar ajuda para um distúrbio alimentar, por isso é importante escolher alguém que seja solidário e realmente escute sem julgá-lo ou rejeitá-lo.

Pode ser um amigo próximo, um membro da família ou um líder jovem, professor ou conselheiro escolar em que você confia. Ou você pode ficar mais à vontade confiando em um terapeuta ou médico.

[Crédito da imagem: Kontrec por iStockPhoto]

1 thought on “Como lidar com o distúrbio alimentar durante uma pandemia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *