Prebióticos são essenciais para um sistema intestinal e imunológico saudável – Saiba onde encontrar

Diferença entre prebiótico e probiótico

Ainda que os nomes prebiótico e probiótico sejam muito parecidos, esses dois suplementos são bem diferentes e têm também papéis diferentes no sistema digestivo (ou intestino).

  • A FIBRA PREBIÓTICA é uma parte dos alimentos que atravessa o intestino delgado sem ser digerida e é fermentada quando atinge o cólon maior.

Esse processo de fermentação alimenta colônias de bactérias benéficas (incluindo bactérias probióticas) e ajuda a aumentar o número de bactérias recomendadas ​​em nosso sistema digestivo (também chamado intestino) que estão associadas a melhora na saúde e redução do risco de doenças.

  • PROBIÓTICOS são bactérias benéficas vivas, criadas naturalmente pelo processo de fermentação em alimentos.

Os probióticos também estão disponíveis em forma de pílula e como ingrediente adicionado em produtos como iogurte e bebidas saudáveis.

O uso no dia-a-dia

Atualmente os probióticos estão sendo adicionados a tantos alimentos que está sendo mais fácil do que nunca os colocar em sua dieta – e isso é ótimo, uma vez que alimentos ricos em probióticos, como iogurte, chucrute e kombucha contêm bactérias vivas e saudáveis ​​que podem ajudar a impulsionar seu sistema imunológico, além de proteger o seu intestino.

Porém, o que poucas pessoas percebem é que, assim como qualquer outro organismo vivo, os probióticos que você ingere todos os dias precisam ser alimentados para prosperar. Eles não serão capazes de realizar seu trabalho essencial, se não receberem combustível suficiente.

Os prebióticos são o combustível que alimenta e nutre os probióticos. Como os prebióticos e os probióticos parecem tão semelhantes, muitos podem confundir os dois e pensar que são a mesma coisa. Lembre-se de que os prebióticos alimentam probióticos.

Sendo assim, se você está gastando uma boa parte do seu salário em alimentos práticos e suplementos probióticos, recomendo que faça o mesmo com alimentos ricos em prebióticos que ajudam a garantir que seu intestino continue a ser colonizado pelas bactérias que você deseja lá.

Alimentos ricos em prebióticos

Aumentando o seu consumo diário total de fibras, você também aumentará a fibra prebiótica que ingere para alimentar probióticos e outras cepas desejáveis ​​de bactérias no intestino para melhorar a saúde e o bem-estar.

Muitos alimentos ricos em fibras também são ricos em fibras prebióticas.

Mas como você pode ter certeza que está recebendo prebióticos suficientes para suportar esses probióticos? Basta adicionar os seguintes alimentos ao seu carrinho na próxima vez que for fazer compras:

Xarope de bordo puro ou seiva de bordo

O xarope de bordo puro é um adoçante natural derivado diretamente da seiva da árvore que, quando consumida com moderação, pode fazer parte de uma dieta saudável.

Os dados mostram que a seiva de bordo contém prebióticos naturais chamados oligossacarídeos que sustentam o crescimento de lactobacilos, as boas bactérias encontradas em alguns kombuchas, iogurtes e suplementos.

Cogumelos

Os cogumelos contêm prebióticos naturais que ajudam a apoiar a microbiota. Para os amantes de carne ou aqueles que têm dificuldade em colocar vegetais ricos em prebióticos em sua dieta, os cogumelos podem ser adicionados a receitas como hambúrgueres ou tacos para um impulso prebiótico sem afetar o sabor do prato.

Alho

O alho é naturalmente rico em inulina, um tipo de carboidrato não digerível que atua como um prebiótico. Pesquisas sugerem que um componente do alho estimula o crescimento do tipo benéfico de bactéria chamado bifidobactéria e pode realmente ajudar a prevenir algumas doenças gastrointestinais.

Alho-poró, cebola e outros alimentos da família Allium são tipicamente uma grande fonte de prebióticos naturais.

Aspargos

Como o alho, os aspargos contêm fibra de inulina, que atua como um prebiótico. Adicionar aspargos à sua dieta pode ajudar na saúde intestinal e também oferecer outros benefícios potenciais, como reduzir o risco de desenvolver certos tipos de câncer.

Raiz de chicória

Se você olhar a lista de ingredientes da barra de proteínas que guarda na bolsa, poderá ver a raiz da chicória listada. A raiz de chicória é na verdade a raiz da planta de endívia e é um ingrediente comum em muitos alimentos para aumentar o teor de fibras e prebióticos.

Bananas

Se você preferir bananas pouco maduras, está com sorte. As bananas verdes têm alto teor de amido resistente, que atua como prebiótico. Agora, o único desafio é chegar à banana antes de amadurecer!

Suplementos Prebióticos

Suplementos prebióticos podem ser tomados regularmente para ajudar a aumentar e impulsionar o crescimento de boas bactérias em seu intestino.

Esses suplementos contêm fibras fermentáveis ​​que fornecem alimento para bactérias benéficas, como lactobacilos e bifidobactérias.

Os suplementos prebióticos diferem dos suplementos probióticos, pois não são bactérias vivas, são altamente estáveis ​​e não são afetados pelo calor e pela acidez e atingem seu intestino intacto.

É importante observar que nem todos os prebióticos são iguais e alguns são mais direcionados ao tipo de bactéria que alimentam.

Vantagens de tomar prebióticos

Uma das maiores vantagens dos suplementos prebióticos é que eles são altamente estáveis, não sendo afetados pela temperatura ou pelo armazenamento a longo prazo.

Os prebióticos também são resistentes às enzimas e ácidos gástricos do corpo, o que significa que eles não são destruídos, digeridos ou absorvidos à medida que viajam pelo sistema digestivo, diferentemente de muitos probióticos. Os prebióticos atingem o cólon intacto e inalterado.

Consequentemente, eles podem ser adicionados a quase todos os tipos de alimentos, bebidas ou suplementos sem comprometer sua eficácia.

Finalizando

Seja de forma natural ou como suplemento os prebióticos são necessários para o bom funcionamento do nosso sistema digestivo. E lembre-se de perguntar ao seu médico se tomar probióticos é uma boa ideia para você.

Em geral, acredita-se que alimentos e suplementos probióticos sejam seguros para quase todas as pessoas, embora algumas com problemas no sistema imunológico ou outras condições graves de saúde não devam tomá-los.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *